sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Sintra quer implementar sistema integrado de transportes sustentáveis

10/29/2010 - 

A Câmara Municipal de Sintra prevê implementar até ao final do próximo ano o Ecomob – Sistema Integrado de Transportes Sustentáveis de Sintra, visando melhorar as acessibilidades no concelho.

Segundo a Transportes em Revista, o projecto, que está a ser desenvolvido pela AMES – Agência Municipal de Energia de Sintra, tem como objectivo permitir o acesso aos principais pontos turísticos da vila, através de veículos eléctricos.

Neste sentido, uma das principais medidas a ser implementada é a extensão da actual linha do eléctrico, que faz a ligação entre a Praia das Maçãs e Sintra, à estação ferroviária da Portela.

Esta estação, que actualmente é um dos principais interfaces de transportes do concelho, irá também acolher um parque de estacionamento onde os turistas e habitantes poderão alugar automóveis eléctricos e bicicletas eléctricas.

A autarquia prevê ainda adquirir também 10 veículos desta tipologia e prevê criar mais três parques de estacionamento, onde se poderá levantar ou deixar os automóveis, em Colares, Praia Grande e Praia das Maçãs.

A criação de uma rede de mini-autocarros eléctrica, que sirva os principais pontos turísticos da vila, é outra das medidas a ser implementadas no âmbito do Ecomob.

O acesso a esta rede irá funcionar com um cartão único, que depois de adquirido e carregado, permitirá viajar no eléctrico ou no mini-autocarro, assim como aceder aos automóveis e bicicletas, explicou Luis Fernandes, da AMES.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Ecopista com 18 quilómetros vai ligar Póvoa de Varzim a Famalicão

26/10/2010 - Público

A construção de 18 quilómetros de ecopista entre a Póvoa de Varzim e Vila Nova de Famalicão começa no início do próximo ano, num investimento de 3,5 milhões de euros, adiantou o presidente da autarquia poveira.

A estrutura vai percorrer o antigo canal ferroviário que ligava as duas cidades e vai ser financiada, em 60 por cento, pelo Fundo do Turismo, através das contrapartidas da zona de jogo. 

O concurso público internacional vai ser lançado em breve e as obras começam no início de 2011, devendo estar concluídas em 2014, explicou Macedo Vieira. 

São 18 quilómetros de ecopista (ciclovia) que vão ser construídos de forma faseada, uma vez que "o Estado só vai libertar um terço da verba por ano", disse ainda o autarca. 

Além da via, o projecto inclui ainda a "recuperação das antigas estações dos caminhos-de-ferro e iluminação, assim como os acessos a determinados pontos de interesse ao longo do percurso". 

O projecto foi executado pela Câmara Municipal da Póvoa de Varzim mas será seguido pela autarquia de Famalicão para haver "coerência no traçado", explicou Macedo Vieira, adiantando que "será usada a mesma sinalética e linguagem para que a via fique uniforme". 

A ecopista era "há muito desejada pelos dois municípios", porque é um percurso "onde se pode desfrutar da natureza, sendo excelente para a prática desportiva", concluiu o autarca.

http://ecosfera.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1462897

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Lisboa: Ascensor da Glória comemora 125 anos

25/10/2010 - Carris

O Ascensor da Glória, em Lisboa, classificado como Monumento Nacional, celebrou ontem o seu 125º aniversário. Para assinalar a data, a Carris proporcionou aos passageiros uma viagem animada e com algumas surpresas.

Oferta de bilhetes para o Jardim Zoológico de Lisboa e uma actuação da orquestra ligeira da Carris foram algumas das surpresas preparadas para os passageiros que ontem usaram o elevador da Glória, entre as 10h e as 13h, noticia oExpresso.

Há mais de uma centena de anos a ligar a Praça dos Restauradores ao Bairro Alto, o elevador da Glória é, actualmente, um meio de transporte para os habitantes da cidade e um ponto obrigatório para quem visita a capital portuguesa.

Para perceber um pouco a história daquele que é considerado um dos elevadores mais movimentados da capital portuguesa, vale a pena viajar no tempo. O Elevador da Glória partiu de uma iniciativa da Nova Companhia dos Ascensores Mecânicos de Lisboa para fazer a ligação entre a Praça dos Restauradores e o Bairro Alto, tendo sido inaugurado em 1885.

Quando começou a funcionar, o sistema de traço utilizava uma cremalheira e um cabo por contrapeso de água. Eram dois carros ligados por um cabo subterrâneo e que subiam e desciam em vias paralelas assentes ao nível do chão. 

O movimento era determinado pelo peso da água que na estação superior era adicionada à viatura descendente e despejada quando chegava aos Restauradores.

Os carros tinham dois pisos, com o inferior a incluir dois bancos dispostos longitudinalmente, de costas para a rua, enquanto o superior tinha acesso por uma escada de caracol e outro par de bancos. 

No ano de 1915, o elevador - obra do engenheiro português Raoul Mesnier du Ponsard - foi electrificado, pelo que passaram a existir apenas carris em que assentavam os rodados dos carros. 

As primeiras carroçarias eram de madeira, da cor do mogno. O amarelo característico e típico surgiu depois de 1926 quando, por dissolução da sua proprietária inicial, o elevador passou a ser da Carris. 

No vídeo em baixo, aproveite para fazer a viagem de ida e volta no Elevador da Glória e ao som dos Rádio Macau. 





comentar esta notícia | esconder comentários (0)http://www.menosumcarro.pt/Default.aspx?tabid=75&itemId=870&g=58514c57-a516-446d-bb75-aa7aa0a20bc0&utm_source=menosumcarro&utm_medium=twitter

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Quadruplicação da via e remodelação das estações

18/10/2010 - Refer

Em Janeiro de 2008 procedeu-se à Consignação dos trabalhos de quadruplicação da via, entre os pontos quilométricos (PK) 13,750 e 18,250, na Linha de Sintra.
A empreitada foi adjudicada à empresa EDIFER – Construções Pires Coelho Fernandes, SA, pelo valor de 48.480,048 milhõs de Euros, e por um prazo de execução de 1.290 dias de calendário.
Esta intervenção, integrada no Projecto de Modernização da Linha de Sintra, permitirá concluir a quadruplicação da via entre Monte Abraão e Cacém, bem como a remodelação das estações de Barcarena e Cacém.

Estima-se que o final dos trabalhos relativos à quadruplicação da via-férrea e à requalificação das estações ocorra sensivelmente na mesma altura.

O projecto de remodelação da estação de Barcarena inclui a construção de um novo edifício de passageiros, no lado oposto ao existente, sob o qual se situará um silo com capacidade para 585 veículos. O projecto integra ainda uma passagem superior pedonal de acesso aos cais de passageiros, assim como a construção de uma interface de transportes públicos. Será ainda construída uma segunda passagem superior para atravessamento urbano na extremidade das gares do lado de Sintra.
A intervenção na estação do Cacém inclui a construção de um novo edifício de passageiros subterrâneo, no local do existente, a construção de uma passagem inferior que assegurará o atravessamento pedonal urbano e a construção de uma interface rodoviária e de um auto-silo com capacidade para 308 veículos.
Ambas as estações terão novos sistemas de videovigilância, que irão acautelar a segurança de pessoas e bens, nomeadamente nas zonas de circulação.

Com a conclusão destes trabalhos, que completam a Modernização da Linha de Sintra, ficarão também garantidos, em condições de segurança e de conforto para os utentes, os atravessamentos desnivelados pedonais em ambas as estações, sendo suprimidos os últimos atravessamentos/passagens de nível na Linha de Sintra.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Lisboa: Estação fluvial de Sul e Sueste vai ser reinaugurada em 2012

10/11/2010 0 - Carris

A estação fluvial de Sul e Sueste, também conhecida como a do Terreiro do Paço, vai ser reinaugurada em Julho de 2012. Segundo o Público, a obra está a cargo de Ana Costa, neta de Cottinelli Telmo, arquitecto que projectou o edifício a pensar em quem atravessava o Tejo.

"Todo o corpo de obra é a antiga estação, que está a ser reconstruída na íntegra. Só estamos a acrescentar um volume de frente de rio, longitudinal, que servirá as unidades de passagem e de embarque. É uma intervenção muito pacífica. O gesto arquitectónico é da época, à excepção de uma nova construção, para oriente, para uso dos serviços técnicos da Transtejo", referiu Ana Costa.

A obra, que contará com um investimento de cerca de 26 milhões de euros, deverá ter o interface com o Metro operacional em Abril de 2011, embora, segundo informação da Transtejo, o projecto na sua totalidade só esteja concluído em Julho de 2012.

A Câmara Municipal de Lisboa também já preparou um esquema de paragem e circulação de transportes públicos e particulares na zona, de modo a facilitar as deslocações dos cidadãos.

“Todos os elementos que davam escala aos edifícios, os gradeamentos interiores, as lanternas típicas dos anos, tudo, segundo os desenhos originais do meu avô, serão repostos", garante a arquitecta.

No entanto, a gare manterá os serviços antigos, uma zona de comércio, a zona de comando da estação e uma pequena sala VIP. Numa outra zona, haverá um grande átrio, que garantirá o acesso ao metro.

De salientar que Ana Costa tem em mãos o projecto de reabilitação da gare desde 2001. “São 40 mil passageiros por dia a desembocar ali, numa obra do Metropolitano de Lisboa, que no seu interior permite acesso à Linha Azul do metro, criando um importante interface de transportes públicos que servirá os utentes das travessias do Tejo (Montijo, Seixal e Barreiro), explica o Público.

Em tempos, esta travessia chegou mesmo a ser considerada a mais importante, em termos europeus, pelo fluxo de passageiros movimentados entre as duas margens de rio.